13 de janeiro de 2016

Resenha: A lista negra

E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama? O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos. Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas.

A história do livro gira em torno de Valerie Leftman, e de seu namorado Nick Levil, ambos sofria bullying no colégio que frequentava, e já estava cansados de tantos apelidos e brincadeiras de mau gosto, a ideia de criar a lista foi da Valerie, era a sua forma de escape do bullying no colégio, e da rotina de brigas do seus pais em casa, na lista ela colocava os nomes das pessoas e das coisas que ela não gostava.

"E foi assim que começou a famosa Lista Negra: como uma piada. Uma forma de descarregar a frustração. No entanto, ela acabou se transformando em algo que eu nem imaginava" Pág. 85


Até que dia ela resolveu compartilhar a lista com o Nick, os dois continuaram a escrever todas as pessoas e coisas que não gostavam, Nick sempre demostrou ser um pouco obcecado pela morte, mais ninguém nunca tinha levado isso a sério, nem mesmo a Valerie nunca tinha interpretado as suas conversas com ele de outra forma. 

Em um dia, Nick chega e abre fogo no colégio, Valerie não sabia que as pessoas da lista ia se tornar alvos reais, e fica tão surpresa quantos os outros alunos e professores que estavam presentes, Nick sai atirando em todas as pessoas que estavam na lista, e em todas que estava tentando parar a chacina, no meio da confusão, Valerie tenta parar Nick, e se coloca na frente da próxima vitima, e é baleada na perna, depois disso Nick vira a arma para si mesmo e se mata. 

Valerie é obrigada a passar o verão todo numa unidade psiquiátrica, se recuperando tanto dos ferimentos físicos como dos psicológicos. E ainda ter que lidar com a policia e a imprensa que sugerem que ela esteve envolvida no atentado e que possivelmente, aquela foi uma tentativa frustada de suicídio de ambos. 

Para mim, a lista negra é um romance tão bom, que devia ser retratado em todas as escolas, o bullying é um assunto tão retratado ultimamente, mais que nem todas as pessoas dão a atenção necessária para ele, o bullying não deve ser encarado como apenas ' brincadeirinha de criança', segundo alguns especialistas revelam que esse fenômeno que acontece no mundo inteiro, pode provocar nas vitimas desde diminuição na auto-estima e até mesmo ao suicídio.

O livro é bastante intenso, e a carga emocional é forte, mais como tem a mesclagem de fatos do passado e do presente, o livro fica mais leve, e foge da fadiga literária.

Eu indico muito que vocês leiam esse livro, é um romance intenso e devastador, eu me peguei chorando entre as páginas do livro,você vai se surpreender com os personagens, e ver o lado de cada um deles, e até do próprio Nick, você vai ver o que ele passou, e o que levou a ele a ter essa atitude extrema. 

"- O tempo nunca acaba [...]. Como sempre há tempo para a dor, também sempre há tempo para a cura." Pág. 179, Doutor Hietler

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Amei,tô desejando esse livro😍😹

    Assim:seu amiguinho de sala❤😹

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou! Kkkkkkkk
      PS: não te subestimo mais!

      Excluir